1 de junho de 2015

COMEMORAR O DIA DA CRIANÇA ATRAVES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL - TO CELEBRATE CHILDREN'S DAY THROUGH ENVIRONMENTAL EDUCATION

Hoje é o Dia da Criança e por esso vamos comemorar o dia com um pouco de eduacação ambiental. Das coisas mais importantes na conservação é a educação porque sem educação não teremos progreso nem mudanças no nosso mundo. É por isso que a educação ambiental merece uma menção especial. O mês de maio poderia ser o início do verão para qualquer que goste da praia e o sol, além disso é o mês das flores e as flores são vida, como os meninos. Os meninos são o futuro da região, do país e do mundo. Se nos queremos melhorar o mundo e ter a natureza que conseguimos desfrutar nos nossos dias o mais importante é ajudar no conhecimento do nosso entorno.
Today is Children's Day and for that we want to celebrate this day talking about environmental education. One of the most important things about nature conservation is education, because without education we won't have development or changes in our world. So, environmental education deserves special mention today. Last month of May could be the beggining of summer for everyone likes beach and sun, besides being flowers month and flowers are life like children. Children are our future, from our region, country and world. If we want to change our world and still having nature that nowdays, we are enjoying, the most important is to help to improve knowledge of our environment.

É por eles que nós estamos obrigados a ser eco-compatíveis, que temos de fazer boas práticas ambientais e viver conscienciosamente com a pegada ecológica que vamos deixar no planeta. Quando nos fizermos isso todo bem, então nós poderíamos exigir aos miúdos a fazer o mesmo o melhor ainda. É uma dúvida que temos com os nossos pais e mais ainda com as futuras gerações, como nós tem direito de desfrutar da vida e da natureza como nós conhecemos e a nossa labor conservar.

It is for them that we must be eco-compatibles, we must to do sustainable lifes and living consciously about our ecological footprint leaving in the world. When we will do everything ok, we can require them to do the same or even better. It is a doubt that we have with our parents and even more with next generations, like us, they have right to enjoy life and nature as we know it.

O que podemos fazer ainda mais do que ser eco-compatíveis e vivemos conscienciosamente para eles? Além de ser um bom exemplo para eles, as vezes é preciso falar e apresentar bem o que nós temos no entorno. Temos de conhecer para amar e conservamos o que amamos, senão conhecerem eles não iam importar-se. 

What can we do besides being eco-compatíveis and living consciously for them? Besides being an example for them, sometimes we need to talk and explain everything we have around. We should to know to love, and then we can conserve that we love, if it doesn’t they won’t import about.



Muitas vezes atras estive a fazer atividades com os miúdos, tanto assim de educação ambiental como noutras áreas, a ajudar com as tarefas da escola, jogar e fazer qualquer coisa. Mas esta vez, foi muito engraçada. Fiz a palestra para os meninos, numa turma de 4º ano, deviam ter 9 anos. E correu bom. É uma atividade muito gratificante, o mesmo do que acontece quanto tens feito um bom trabalho. E assim, eu contava a vida do fura-bardos e porque a Laurissilva é tão importante para ele e para nós próprios, por enquanto eles escutavam atentos. E não é tão importante o que eu digo, senão mais ainda o que eles perguntam e o que eles acham da natureza. As crianças são curiosas por natureza, e vão continuar ser assim se nós não tiramos essa curiosidade. Escutei atentas as reflexões dos miúdos, e as vezes fazem pensar coisas que nunca tinhas pensado no passado. Adorei esta nova experiencia e fiquei mais uma vez agradecida a SPEA por ter dado esta oportunidade de crescer pessoal e profissionalmente, e também as crianças que estavam lá a descobrir a misteriosa vida do Fura-bardos!



I did a lot of activities with children about environmental education and other, helping with homework or playing to everything. But this time, it was different. I did a presentation about Sparrawhowk in 4th year in the school, they shoul be 9 years old. It was fine. Really, environmental education is a very pleasing task, like feelings to do a good work. It is like that, I have been telling about our project and exciting life of Sparrawhawk and birs in the island, even why is so important Laurel forest for its. It is not so important what I said, it is more what they think about nature. Curiosity is a synonymous of children, they were born curious for natural, and they could be in the same way if we do not destroy it. I paid attention of them, what they asked me about their thinking and sometimes, they made me think some things that I have never thought about. I loved this new experience and stay once time more grateful to SPEA for give that chance to grow up personal and professional field, and even more to children who stayed there to discover the mysterious life of Fura-Bardos!

26 de maio de 2015

Golfinhos e baleias

   Funchal, vista desde o catamarã.
Um pequeno salto e de volta na água. Um dia esplêndido para nadar no Oceano Atlântico, na direção oeste. Outro salto para tomar um pouco de oxigênio e continuar nadando. Na superfície, perto de terra, flutua uma dessas “coisas” cheias daqueles seres que continuamente poluem o mar.
Esta "coisa flutuante" é um catamarã com os membros do Seminário "Desenvolvimento e Biodiversidade", navegando ao longo da costa sul da Madeira enquanto se depara com um grupo de golfinhos e baleias-piloto. O barco deixou o porto do Funchal e foi para o leste ao longo da reserva marinha de Garajau, até à Ponta da Oliveira. Parou para observar os cetáceos, e depois virou na direção oposta, para oeste, para Câmara de Lobos e Cabo Girão – 589 metros, o segundo mais alto na Europa-.
Uma Manta.
O passeio de barco foi bom para relaxar depois de uma semana cheia de novas experiências. Mas há que estar preparado para os desafios que se seguem. O primeiro é aprender uma nova língua. A segunda é se tornar um fotógrafo de aves decente. Ambos exigem paciência. Francelho, pombo-trocaz, tentilhão, manta,… são algumas das aves que estão testando a minha habilidade.
   
Quando chegas em um lugar novo tudo em redor é novidade, e, ao passar as semanas, chega um momento, em que as ruas, pessoas, hábitos, etc.; começam a parecer normal e quotidianas. A segunda semana termina enquanto na rua é um alvoroço incomum, os gritos dos fans que comemoram o campeonato alcançado pelo Benfica.



 Dolphins and Whales


Uma Manta e Um Francelho, voando alto.




A little jump and back into water. A nice day to swim out the Atlantic Ocean, westward. Another jump to take some oxygen and continue swimming. On the surface, near the ground, floats a “thing” full of those beings that continually pollute the sea.

This “thing” is a catamaran with members of the seminary development and biodiversity; sailing along the south coast of Madeira, while it´s crossing with a group of dolphins and pilot whales.
Cabo Girão, vista desde o Catamarã.

The ship left the port of Funchal and went eastward along the marine reserve of Garajau. Then he stopped to watch the cetaceans and then turn in the opposite direction, through Câmara de Lobos to Cabo Girão -589 meters, the second largest in Europe-.
The boat trip was so good to relax after a week full of new experiences. But there are to be ready for the challenges that come. The first one is learning a new language. The second one is to become a decent bird photographer.
Both require patience. Francelho, Pombo trocaz, Tentilhão, Manta... are some of the birds that will test my hability.


When you get to a new place, all around you it is new, and, as the weeks go by, get a time when the streets, people, customs, etc. begin to seem normal. The second week concludes while the street there an unusual bustle, the cries of fans celebrating the league achieved by Benfica.

11 de maio de 2015

Nova Casa


Nova Casa

A partir da Travessa do São Filipe pode ser visto o Oceano Atlântico que é perdido no horizonte, tão longe quanto chega visão. Um cruzeiro chega ao porto enquanto pequenos barcos de pesca navegam perto da costa. Se nós olhamos para cima, as casas antigas e negligenciadas sobem uma encosta íngreme, que termina em altas montanhas, cobertas de uma vegetação exuberante. Abaixo da estrada, passamos por um beco com um piso de cimento e descemos até chegar à rua Bela de São Tiago. Aqui começam as ruas estreitas, a pavimentação de pedra, vasos penduradas em postes de iluminação e arquitetura colonial.

  Casa antiga na Travessa do São Filipe                                     

Estamos no centro do Funchal, capital da Madeira, em frente da porta verde da sede da SPEA; Uma nova etapa começa!

Ter uma noite agradável no calor de uma fogueira à luz da lua cheia; desfrutar de um almoço rodeado por pessoas de pelo menos quatro nacionalidades; jogar um jogo de futebol na praça da vila, ao lado de uma bela praia; ser responsável pela comunicação de uma organização para o estudo e a conservação das aves; levantar-se às 6 da manhã para ir em busca de ninhos de fura-bardos (aves que têm pouco desejo de ser vistas); ver um Juventus vs. Real Madrid com o meu novo companheiro de apartamento italiano; não entender o idioma local e, em seguida, frequentar aulas em Português e perceber que não é tão difícil para um espanhol… são algumas das coisas que eu fiz na minha primeira semana.


A noite cai, as luzes laranja dos candeeiros ficam acesas e novamente eu subo a Travessa de São Filipe esgotado por um dia cheio de atividades. Existem ainda muitas coisas para fazer e o descanso necessário para começar um novo dia.


New Home

Estefania and Sandra, searching nests of Furabardos.
From Saõ Felipe Street you can see Atlantic Ocean, stretching to the horizon as far as the sight.  A cruise arrives at harbour meanwhile little fishing boats sailing near the shore. If you look up, the old an careless houses going up abrupt hillsides finishing in a jagged mountains covered by high vegetation. Below the street, across a alley with a cement floor you are going down until Bela Sao Tiago Street. Here begin the narrow streets, floor with stone pavers, flowerpots hanging from lampposts and houses of colonial style.

We are in Funchal centre, capital of Madeira, in front of green door of the headquarters of SPEA, a new stage begins.

Lunch in Porto da cruz with good company.
Have a nice meeting to the heat of a bonfire and moonlight; enjoy lunch surrounded by people, at least, 4 nationalities; play a football match on the villege square next to a beautiful beach; be responsible for the communication of an organization for the study and conservation of birds; get up at six o´clock a.m. to go looking for Fura-bardos nests (birds to don´t have desire to be seen); watch a Juventus vs Real Madrid in a pub with my new italian housemate; not understand the local language and go portuguese classes and notice it isn´t so difficult for Spanish people… are some of the things I´ve done in my first week.


Night is falling, the orange streelights switch on, it´s cold and another day I walk up Saõ Felipe Street, exhausted by a day full of activity. There are still many things to do and it´s necesary to rest to start a new day.




7 de maio de 2015

O trabalho de campo e a vida na MADEIRA

O trabalho de campo e a vida na MADEIRA 

O tempo todo que estou cá na Madeira os dias passam muito rápido, é isso a vida sente-se mais viva do que nunca. A equipa SPEA está sempre a procurar alguma coisa para fazer no contato com as aves, a natureza e as pessoas da ilha. É uma boa oportunidade para começar a falar português com o pessoal madeirense e divulgar as ações todas que estamos a fazer na SPEA, montes de atividades e trabalho de campo preciso para o estudo e bom conhecimento da biodiversidade madeirense e da Macaronésia.

Fieldwork in MADEIRA 



The whole time spending in Madeira is getting so fast for me; it is life feeling even more alive than ever. SPEA team is always looking for new things to do, to develop in the island to be in touch with nature, birds and local people. It is a good chance to start speaking Portuguese with locals and to provide information about our work, a lot of activities and field work is needed to improve our knowledge  from Madeiran Biodiversity and from Macaroneisan Area.



Laurissilva da Madeira 
Laurel Forest


Os primeiros meses do 2015 começaram com muita atividade pelo começo da fase reprodutora do fura-bardos (de fevereiro até agosto). Ainda faltam mais dos meses mas por em quanto já temos informações sobre novos ninhos e novos territórios do fura-bardos na floresta da Laurissilva da Madeira. O fura-bardos é uma das espécies de rapina presentes no arquipélago da Madeira e das Canarias, sendo uma subespécie endémica da Macaronésia. O nosso conhecimento sobre esta espécie ficava incompleto por ser um animal muito difícil de estudar e de ver na natureza. É muito esquivo e sempre esta deixar algum resto de sua vida na montanha mas ele muito poucas vezes aparece na nossa frente. É isso que faze uma espécie interessante e curiosa para conhecer. 

First months of 2015 started full of activities within beginning reproductive period of Sparrawhawk (from February until Agoust). It is stilling two months to finish this period but at the moment, we are getting so many information about ecology and biology of this specie. We have already found new nests and territories of Sparrawhawks in the Laurel Forest from Madeira. The Sparrawhawks is one of the raptors species in Madeira and Canary Islands, being an endemic subspecies from Macaronesia. Our knowledge about was incompletely because it is an animal very estrange to study and to watch in nature. It is very evasive in the forest and it is always leaving some rest of his life on the mountains but he seldom appears in front of us. That's what make an interesting and curious species to meet.



Ninho do fura-bardos
Sparrawhawks nest




Além do trabalho de campo com o Fura-bardos, há muitas atividades que temos feito no mar e nas escolas com os meninos. Os censos das aves marinhas continuam a decorrer e é por isso que temos a oportunidade de ver sempre o mar, e senti-o. Agora começa o bom tempo e com ele as boas viagens no veleiro, a brisa do mar vão ser muito boas de ficar calma e desconectar um bocado do Funchal. Os cetáceos e as aves marinhas estão já pertinho da costa, e com muita vontade de brincar connosco no veleiro e nas nossas viagens até Porto Santo.


Furthermore to the field work in Fura-bardos, there are a lot of activities done on the sea and schools with children. Census of seabirds are getting in process and we have another chance to watch the sea and and feeling it. At the moment, it is starting good weather and good trips on the boat, sea breeze are so fine to be quiet and disconnecting a little bit from Funchal. Cetaceans are coming near to the coast to play with us on the boat in the way to Porto Santo Island.



Cetáceos da Madeira 
Cetaceans from Madeira 

Ao começo do março, algumas aves marinhas começam vir à costa para acasalar e fazer os ninhos nos buracos da terra. Elas vão ficar perto da costa até as crias crescerem e vaiam para o mar no caminho mesmo de seus pais. Há alguma cá na Madeira muito importantes por serem únicas no mundo, é a Freira da Madeira e a Freira do Bugio. O ano todo viajam pelo mundo e decorrem os mares imensos de norte a sul e voltam para uma vez só para ter as crias e continuar a vida. A SPEA faz saídas do campo para tentar ouvir a chegada das aves à terra, é assim com as Freiras da Madeira que chegam aos picos mais altos da ilha para fazer os ninhos e também o Patagarro, ele nidifica nas montanhas perto do Funchal. Os voluntários da SPEA que queriam participar vieram com a equipa para escutar o som dos patagarros, um som muito diferente do que conhecemos para as aves. Elas chegam a terra após do pôr-do-sol, e só ver as montanhas, a floresta e o som que eles fazem à sua chegada e simplesmente incredível.



Sempre a descobrir a vida que a natureza oferece-nos, é só abrir os olhos e olhar para ela. 



Atividade do Patagarro no PECOF
Manx Shearwater activity in the PECOF


At the beginning of March, some seabirds start to come to the coast to breed and making nests in holes in the ground. They are staying near to the coast until poultry hatchlings grow up and go away to the sea. There is some very important bird from Madeira, only in the world; it is a Madeira’s petrel and Bugio’s petrel. The whole year they are traveling through the world in other seas from north and south and then, they are coming back to the island to nest. SPEA team is used to do field trips to listen arrivals of birds, Madeira’s Petrel arrive to the peaks of the island and Manx Shearwater arrive to the mountains of Funchal. SPEA volunteers collaborated with us to listen the sound of those birds when arriving to the nest. They use to arrive after sunshine, it is just watching to the mountains, forest and listen the sound to understand this feeling is amazing.

It is always to discover life that nature offers us, just opening eyes and watch to her. 


Yolanda González 


28 de abril de 2015

De colónia en colónia

De colónia em colónia

Wandering in the colonies

Os últimos dois meses foram cheios de trabalho de campo, sem dúvida um dos aspectos mais divertidos dos nossos projectos.

The last two months have been full of fieldwork, one of the most funny aspects of our project without any doubts.

No passado mês de Março tivemos no Ilhéu Chão (Ilhas Desertas) para a procura de pintainhos, Puffinus lherminieri e finalmente os encontramos! Não apanhamos muitos animais mas mesmo assim ficamos contentes de saber que poucos indivíduos estão ali, sendo essa uma boa noticia para o projecto LIFE Recover Natura que esta a decorrer.



During the past month of March we visited the Chão Islet (Desertas Islands) looking for Audubon's shearwaters Puffinus lherminieri  and eventually we found them! We didn't collect many birds, but we are satisfied to know that few individuals are possibily breeding there, which is a good news for the on-going LIFE project. 

Vegetação nas Desertas

Em Abril, não satisfeitos, voltamos à colónia para verificar o estado da mesma. Notamos mudanças na actividade, muito menos intensa que no mês anterior. Mesmo assim, ainda uns poucos indivíduos estavam ali, o que é um bom sinal.

During April, not totally pleased, we went back to the colony to verify its status. We did notice differences in the activity, which was extremely less high than March. Anyway, few members were still present, which is a good sign. 



Ilhéu Chão e Deserta Grande
Neste último mês tivemos a possibilidade de monitorizar a mais seguida e conhecida colónia de pintainhos no Ilhéu de Cima de Porto Santo. Esta colónia está ser estudada há 4 anos ao abrigo do projecto LIFE Ilhéus de Porto Santo. A colónia parece gozar de boa saúde, tendo sido a actividade elevada e continua durante as noites todas que estivemos ali.

During the last month we also went monitoring the best known shearwater colony of Cima Islet in Porto Santo. This colony has been studied since 4 years thanks to the LIFE project Ilhéus de Porto Santo. It seems it has a good status, with high activity during the whole time we spent there. 


Pintainho Puffinus lherminieri


Com as nossas últimas estadias acabou o tempo do ano dedicado aos pintainhos, mas damos os melhores parabéns as nossas colegas para a próxima temporada de campo nas colónias! 

With our last visits, fieldwork for this shearwater species is ended for this year, but we wish the best to our colleagues for the next fieldwork season at the colonies!

Ilhéu de Cima com vista sobre os picos de Porto Santo

10 de abril de 2015

Visita ao Ilhéu do Desembarcadouro


Visita ao Ilhéu do Desembarcadouro

No passado mês de Fevereiro estivemos no Ilhéu do Desembarcadouro a prospetar uma potencial colónia de Pintainhos Puffinus lherminieri, no âmbito do projeto LIFE Recover Natura. Infelizmente, não conseguimos encontrar nenhum sinal indicativo da presença destas aves, provavelmente devido ao número elevado de gaivotas Larus michaellis que nidificam ali. Mesmo assim, conseguimos aproveitar a estadia neste ilhéu, que oferece vistas inesquecíveis sobre a Ponta São Lourenço, o ilhéu do Farol, as Ilhas Desertas e, com alguma sorte, o Porto Santo.




Durante o dia aproveitámos para explorar o ilhéu e tentar encontrar algum sinal importante para identificar a possível presença das aves. Apesar de não termos encontrado nenhuma evidência de qualquer ave marinha, este ilhéu está a ser alvo de um programa de erradicação de ratos o que poderá contribuir para que, futuramente, ocorra um maior sucesso reprodutor das aves pelágicas que nidificam no arquipélago da Madeira. Durante a noite prospetámos toda a área potencial e ficamos a fazer escutas nas partes mais baixas do ilhéu. Só conseguimos ouvir limícolas e muitas gaivotas (altamente barulhentas!).


Esperar que as aves regressem à colonia à noite é uma experiencia cheia de emoções, onde conseguimos aproveitar o silêncio, a tranquilidade e a magia da natureza. Este é o momento do qual mais gosto, onde se alia o barulho do mar, do vento e da terra! São nestes instantes que nos damos conta que, apesar dos esforços, o nosso trabalho é muito bonito! Na minha opinião todos teríamos de ter a  oportunidade de experienciar um trabalho noturno numa colónia de aves marinhas para se aperceber dos sortudos que somos!   

Desembarcadouro Islet visit

During the past month of February we have been visiting the Desembarcadouro Islet to prospect a potential colony of Audubon Shearwaters Puffinus lherminieri, in the framework of Recover Natura LIFE project. Unfortunately we didn’t find any signs which can confirm the presence of these birds, probably due to the high number of Yellow-legged Gulls which breed there. Anyway we did have the opportunity to enjoy our stay in this islet, which offers unforgettable spots of Ponta São Lourenço, Farol islet, Desertas islands and, being lucky, Porto Santo Island.






During the day we took advantage to explore the islet to try to find any important signs to identify the possible presence of the birds. Despite not having found evidences of any seabird species, this island is object of a rat eradication program, which can contribute to a higher future reproductive success of the pelagic birds breeding in Madeira archipelago. During the night we prospected the whole potential area and we made some listening points in the lower parts of the islet. We only heard waders and several gulls (which are really noisy!).

Waiting for the birds to come back at night is an experience full of emotions, and we can enjoy the silence, the quiet and the magic of the nature. This is my favourite moment, when the sounds of the sea, the air and the earth merge! These are the instants when we realize that, despite the efforts, our job is really nice! In my opinion we all should get the opportunity to experience a nighttime job in a seabird colony to realize how lucky we are!  

9 de abril de 2015





Aqui fica um pequeno resumo do tempo passado a colaborar com a SPEA. Agradeço a todos com quem tive o privilégio de colaborar e espero poder continuar a faze-lo. :-)



Here is a small video of my time spent working with SPEA. I would like to thank everyone with whom I had the pleasure of working with and I hope to do so again in the future. :-)