29 de julho de 2015

Estágio na Madeira!

Desde que vim para a Madeira e comecei a trabalhar na SPEA cada dia é uma aventura cheia de novas experiências!
O meu nome é Silvia e sou de Barcelona, Catalunya (España). Estudei Biologia Humana e mestrado em Ciências Marinhas e vou estagiar na SPEA-Madeira durante os próximos três meses com uma bolsa de estudos do programa Eurodisseia. Amo estar nas montanhas e no mar e estou particularmente interessada no estudo e conservação das espécies marinhas. Anteriormente, participei em vários projetos de investigação para o estudo e a conservação de espécies marinhas, como coral vermelho e ouriço-do-mar. Nunca trabalhei com aves mas tenho certeza que vou aprender muito sobre elas na SPEA-Madeira! Junto com Anna, uma menina muito engraçada da mesma região que eu, vamos participar em diversos projetos da SPEA para o estudo e a conservação das aves de rapina, aves marinhas e seus habitats como a Laurissilva. Ao mesmo tempo, vamos ajudar em atividades de sensibilização e educação ambiental. Estou muito feliz com o trabalho de campo através do qual também estou descobrindo a bela ilha de Madeira que não me deixa de surpreender. Além disso, estou muito satisfeita com as minhas colegas de trabalho na SPEA com quem estou aprendendo muitas coisas sobre observação e identificação de aves e vegetação da Laurissilva e invasora. Aliás, estou convencida de que a minha estadia na Madeira será uma experiência incrível tanto profissionalmente como pessoalmente.

Muito obrigada por esta oportunidade!

Ginjas (São Vicente), uma das áreas de intervenção do Projeto LIFE Fura-bardos

Since I arrived to Madeira and I started working in SPEA, every day is a great adventure full of new experiences!
My name is Silvia and I am from Barcelona, Catalunya (Spain). I studied Human Biology and Master’s Degree in Marine Science and I will intern in SPEA-Madeira during the next three months with a scholarship of Eurodisseia program. I love being in the mountains and the sea and I am particularly interested in the study and conservation of marine species. Previously, I participated in several research projects for the study and conservation of marine species such as red coral and sea urchins. I have never worked with birds but I am sure that I will learn a lot about them in SPEA-Madeira! Together with Anna, a very funny girl from my region, we are going to participate in several projects of SPEA for the study and conservation of raptors, seabirds and their habitats such as laurel forests. At the same time, we are going to help in activities of awareness and environmental education. I am very happy with the fieldwork through which I am also discovering the beautiful island of Madeira. In addition, I am very satisfied with my colleagues in SPEA with whom I am learning a lot about observation and identification of birds and the laurel forest and invasive vegetation. Moreover, I am convinced that my stay in Madeira will be an amazing experience both professionally and personally.

Thank you very much for this opportunity!


22 de julho de 2015

Formação do Serviço de Voluntariado Europeu

Ribera do Douro. Ponte Luiz I


- Acho que vou indo para a estação.
- Mmm… Ok, muito bem.

Assim digo adeus a Judith, ela é a última pessoa do grupo com a qual tenho estado durante toda a semana. – Quantas boas vibrações e que fixe que ela é-. Dizemos-mos as frases típicas de dois espanhóis que estão no estrangeiro e fui a pé sozinho para o albergue.

Quando cheguei ao Porto pela primeira vez estava eufórico por estar numa das maiores cidades de Portugal y mais bonitas da Europa, porém nesse momento, a fadiga mental e a solidão depois de seis dias cheios de atividade, fizeram que precisasse chegar rápido ao albergue. As poucas horas de sono e o esforço de pensar em três línguas diferentes cansaram muito o meu cérebro.

- Desculpa, podes tirar-nos uma foto -. Pedem-me umas raparigas enquanto estou a cruzar a Praça da Liberdade.
- Claro que sim. Vocês são espanholas, certo?
-  Sim, somos de León. E tu?
- Eu sou das Canárias.

Seria engraçado que agora estivesse o Elias aqui. As brincadeiras e flertar com as meninas sem parar. Grande rapaz! Antes pensava que não parava de falar e agora tenho saudade dele.

- Pronto! Até logo-. E continuo caminhando.

 Chego ao albergue, reservo a ultima cama livre e vou dar um passeio pela Ribeira do Douro, aproveito também para escrever algumas ideias que rondam minha cabeça.

Epa! Duas gaivotas lutando por um copo de gelado vazio… certeza que a Anna apreciaria a cena divertida e interessante. 

Esta muito vento, é melhor voltar para o albergue antes que me voem as olhas. A cozinha é um bom lugar para escrever, no há muita gente e tem uma varanda desde onde posso ver a pôr-do-sol.

- Bem, por onde empezamos? Conhecimentos práticos, técnicas de aprendizagem, experiência vital, o que aprendi de mim próprio, o que aprendi das outras pessoas? Acho que levará meses escrever isto tudo, para além disso tenho muitas experiências e sensações que são difíceis de explicar.

Enquanto o sol está se pondo, os telhados do Porto van mudando a cor e as gaivotas voam de um lado para o outro. Entram na cozinha um grupo de meninas francesas que se sentam ao meu lado e começam a conversar. Têm um nível de inglês semelhante ao meu e são agradáveis e sorriem. Já estava costumado ao perfeito inglês de Theo e os seus olhares assassinos. Claro que, em seguida, com um sorriso ele corrigia tudo.

- Que rapaz tão raro acaba de entrar. Se o Claudio estivesse aqui só de olhar a expressão no rosto dele consigo descobrir os seus pensamentos, e não poderíamos parar de rir.  

- Ok, já esta! Definitivamente vou escrever sobre as pessoas que conheci durante a formação do SVE. Os conhecimentos e habilidades são importantes, mas sem estes companheiros não teria sido o mesmo. Além disso, era um dos objetivos do programa, o intercâmbio cultural e linguístico: Roménia, Espanha, França, Ucrânia, Itália e Peru para ser exatos.

Agora entra um grupo de espanhóis… bom, não vou falar assim pensam que sou estrangeiro e não me ligam. Já sei que isto não esta bem, deveria socializar-me um bocado, mas estou muito cansado, e no é fácil encontrar com facilidade uma boa conversa fluida, como costumava ter com a Bárbara.

As francesas vão sair de festa, parecem gostar tanto como os seus compatriotas a Cloe e a Cinthia, embora elas eram mais divertidas. Digo-lhes adeus num inglês muito mau - pois, não esta a Bianca aqui para me corrigir! - e saio da sala.

A verdade é que fomos um grupo bom, podias sentar-te a conversar com a Sonia, a Angie ou a Sona tranquilamente, ou desfrutar de uma tarde de reflexão com a Carolina. Não posso esquecer ao Bruno e a Sara, os melhores formadores que poderíamos ter tido.

As manhãs eram difíceis e o café era pior, mas se no pequeno-almoço encontrava a Joanna, com a sua bondade e seu sorriso, as manhãs eram um bocado melhores.

A noite é nova no Porto, há barulho nas ruas e as pessoas preparam-se para sair de festa. Eu preparo-me para ir à cama, pondo assim, o ponto e final a uma semana intensa e cansativa, mas gratificante.

Se Cosmin soubesse que prefiro ir dormir antes que sair de festa deixaria de ser o meu amigo, mas se ele tivesse cá com certeza que íamos à festa.



European Volunteer Service Formation

    -           I think i´m going to go running to the bus station.
    -          Mmm… ok, all right.

This way, I said good bye Judith, the last person in the group with which I have been all week. - That good feeling and energy she has-. We say farewell phrases typical form two spanish people who are abroad and start to walk alone.

When I got Porto first time I was so happy to be in one biggest cities from Portugal and one most beautiful from Europe, however, now the mental exhaustion and loneliness after 6 days filled with activity you need to get to fast to hostel. The few hours of sleep and the effort to think in three languages leave you exhausted.

-      Excuse me, Can you take a photo? - Two girls stop to me while I’m crossing the “Praça da Liberdade”.
-       Of course. You are from Spain. You aren´t?
-       Yes, we are from León, ha, ha ,ha, and you?
    -    I´m from Canary Islands.

Would be fun to be Elias here now. The jokes and the flirting will be a non-stop. That boy, he never stopped to talk and now I´m missing him.

    -     All right! See you -. And I keep walking.

I get to hostel, book the last bed available and I´m going to walking by Douro river´s shore for writing any ideas I have in my mind.

     -   Ey! Look at!! Two seagulls fighting over an empty ice cream glass. I´m sure Anna would know to appreciate the funny and interesting about this scene.

It´s very windy, I better come back to the hostel before my notes fly. The kitchen is a good place to write, not many people and it has a balcony from which you can watch the sunset.

              -   Well, where shall I start? Practical knowledge, what I learned about myself, life experience, what I have learned from others? I think it took months to write it all, above all, the feelings that are abstract and difficult to explain.

As the sunset going on, roofs Porto change color and seagulls are fliying everywhere, a group of French girls enter to the kitchen and they sit next to my and get to chat. They have an English level like mine and they are nice and smile. He was used to Theo perfect English and her killer looks. Of course whit a smile she fixed everything.

        -  What guy such strange just to enter! If Claudio was here, just to watch us each other we thought we are thinking each other and we wouldn´t stop laughing.

-          Ok, I have it. I definitely going to write about the people I met during the EVS training. Knowledge and skills are important, but without these fellows wouldn´t have been the same. Besides, it was one of the objectives of the program, linguistic and cultural exchange: Romania, Spain, France, Ukraine, Italy and Peru to be exact.

Now comes a Spanish group... well, I will not talk and so they think I'm foreign and leave me alone, they wouldn´t know much English. I know it is wrong, I should socialize a bit but I am very tired, and isn´t easy to find a nice conversation and flow easily, such as those used to have with Bárbara.

The French girls are going to go out to party; it seems to like it as much as their compatriots Cloe and Cinthia, although the last two they are more fun. I say goodbye to them, in very bad English ... of course! - Is not Bianca here to correct me!- and I leave the room.

We really were a great group; you can sit and chat to SoniaAngie and Sona, or enjoy an afternoon of reflection with Carolina. I can´t forget Bruno and Sara, the best trainers who we ever could have.

Mornings were hard and the coffee worst, but if in the breakfast you met Joanna with her kindness and her smile you wore it a little better.

Night is young in Porto, There are bustle on the street and people are preparing to party. I prepare to go to bed, and thus put an end to an intense and exhausting but rewarding week.


If Cosmin knew I rather sleep before partying, He stops to be my friend, but on the other hand, if he was here I surely would party.

21 de julho de 2015


"Casa dos salgados", este foi o primeiro percurso que fizemos com SPEA. Com a companhia de Sandra, Yolanda e Silvia (também nova colaboradora de SPEA).
(Repouso após do trabalho)

Meu nome é Anna, tenho 29 anos, venho de Espanha, e sou bióloga no meu tempo livre. Graças à bolsa Eurodyssee estou a trabalhar em SPEA Madeira. Depois de duas semanas aqui, tudo o que posso dizer é que está a ser uma grande experiência a nível pessoal e profissional. A companhia é agradável, lindíssimas paisagens e, além disso, estou aprendendo muito sobre a identificação de aves e a monitorização das mesmas.
Felizmente, ainda tenho alguns meses para estar aqui e aproveitar esta oportunidade maravilhosa!

-----------------------------------------------------


"Casa dos salgados," this was the first route we did in SPEA with Sandra, Yolanda and Silvia's collegue (new participant in the SPEA too).
My name is Anna, I'm 29 and I'm biologist in my spare time. Thanks to Eurodyssee's grant we are working on SPEA Madeira. I arrived here two weeks ago and all I can say about that is this remains a great personal and professional experience. The companionship is nice, beautiful scenery and, besides, I'm learning a lot about bird identification and monitoring it.

Fortunately, we have still some months to be here and enjoy this wonderful opportunity!


1 de junho de 2015

COMEMORAR O DIA DA CRIANÇA ATRAVES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL - TO CELEBRATE CHILDREN'S DAY THROUGH ENVIRONMENTAL EDUCATION

Hoje é o Dia da Criança e por esso vamos comemorar o dia com um pouco de eduacação ambiental. Das coisas mais importantes na conservação é a educação porque sem educação não teremos progreso nem mudanças no nosso mundo. É por isso que a educação ambiental merece uma menção especial. O mês de maio poderia ser o início do verão para qualquer que goste da praia e o sol, além disso é o mês das flores e as flores são vida, como os meninos. Os meninos são o futuro da região, do país e do mundo. Se nos queremos melhorar o mundo e ter a natureza que conseguimos desfrutar nos nossos dias o mais importante é ajudar no conhecimento do nosso entorno.
Today is Children's Day and for that we want to celebrate this day talking about environmental education. One of the most important things about nature conservation is education, because without education we won't have development or changes in our world. So, environmental education deserves special mention today. Last month of May could be the beggining of summer for everyone likes beach and sun, besides being flowers month and flowers are life like children. Children are our future, from our region, country and world. If we want to change our world and still having nature that nowdays, we are enjoying, the most important is to help to improve knowledge of our environment.

É por eles que nós estamos obrigados a ser eco-compatíveis, que temos de fazer boas práticas ambientais e viver conscienciosamente com a pegada ecológica que vamos deixar no planeta. Quando nos fizermos isso todo bem, então nós poderíamos exigir aos miúdos a fazer o mesmo o melhor ainda. É uma dúvida que temos com os nossos pais e mais ainda com as futuras gerações, como nós tem direito de desfrutar da vida e da natureza como nós conhecemos e a nossa labor conservar.

It is for them that we must be eco-compatibles, we must to do sustainable lifes and living consciously about our ecological footprint leaving in the world. When we will do everything ok, we can require them to do the same or even better. It is a doubt that we have with our parents and even more with next generations, like us, they have right to enjoy life and nature as we know it.

O que podemos fazer ainda mais do que ser eco-compatíveis e vivemos conscienciosamente para eles? Além de ser um bom exemplo para eles, as vezes é preciso falar e apresentar bem o que nós temos no entorno. Temos de conhecer para amar e conservamos o que amamos, senão conhecerem eles não iam importar-se. 

What can we do besides being eco-compatíveis and living consciously for them? Besides being an example for them, sometimes we need to talk and explain everything we have around. We should to know to love, and then we can conserve that we love, if it doesn’t they won’t import about.



Muitas vezes atras estive a fazer atividades com os miúdos, tanto assim de educação ambiental como noutras áreas, a ajudar com as tarefas da escola, jogar e fazer qualquer coisa. Mas esta vez, foi muito engraçada. Fiz a palestra para os meninos, numa turma de 4º ano, deviam ter 9 anos. E correu bom. É uma atividade muito gratificante, o mesmo do que acontece quanto tens feito um bom trabalho. E assim, eu contava a vida do fura-bardos e porque a Laurissilva é tão importante para ele e para nós próprios, por enquanto eles escutavam atentos. E não é tão importante o que eu digo, senão mais ainda o que eles perguntam e o que eles acham da natureza. As crianças são curiosas por natureza, e vão continuar ser assim se nós não tiramos essa curiosidade. Escutei atentas as reflexões dos miúdos, e as vezes fazem pensar coisas que nunca tinhas pensado no passado. Adorei esta nova experiencia e fiquei mais uma vez agradecida a SPEA por ter dado esta oportunidade de crescer pessoal e profissionalmente, e também as crianças que estavam lá a descobrir a misteriosa vida do Fura-bardos!



I did a lot of activities with children about environmental education and other, helping with homework or playing to everything. But this time, it was different. I did a presentation about Sparrawhowk in 4th year in the school, they shoul be 9 years old. It was fine. Really, environmental education is a very pleasing task, like feelings to do a good work. It is like that, I have been telling about our project and exciting life of Sparrawhawk and birs in the island, even why is so important Laurel forest for its. It is not so important what I said, it is more what they think about nature. Curiosity is a synonymous of children, they were born curious for natural, and they could be in the same way if we do not destroy it. I paid attention of them, what they asked me about their thinking and sometimes, they made me think some things that I have never thought about. I loved this new experience and stay once time more grateful to SPEA for give that chance to grow up personal and professional field, and even more to children who stayed there to discover the mysterious life of Fura-Bardos!

26 de maio de 2015

Golfinhos e baleias

   Funchal, vista desde o catamarã.
Um pequeno salto e de volta na água. Um dia esplêndido para nadar no Oceano Atlântico, na direção oeste. Outro salto para tomar um pouco de oxigênio e continuar nadando. Na superfície, perto de terra, flutua uma dessas “coisas” cheias daqueles seres que continuamente poluem o mar.
Esta "coisa flutuante" é um catamarã com os membros do Seminário "Desenvolvimento e Biodiversidade", navegando ao longo da costa sul da Madeira enquanto se depara com um grupo de golfinhos e baleias-piloto. O barco deixou o porto do Funchal e foi para o leste ao longo da reserva marinha de Garajau, até à Ponta da Oliveira. Parou para observar os cetáceos, e depois virou na direção oposta, para oeste, para Câmara de Lobos e Cabo Girão – 589 metros, o segundo mais alto na Europa-.
Uma Manta.
O passeio de barco foi bom para relaxar depois de uma semana cheia de novas experiências. Mas há que estar preparado para os desafios que se seguem. O primeiro é aprender uma nova língua. A segunda é se tornar um fotógrafo de aves decente. Ambos exigem paciência. Francelho, pombo-trocaz, tentilhão, manta,… são algumas das aves que estão testando a minha habilidade.
   
Quando chegas em um lugar novo tudo em redor é novidade, e, ao passar as semanas, chega um momento, em que as ruas, pessoas, hábitos, etc.; começam a parecer normal e quotidianas. A segunda semana termina enquanto na rua é um alvoroço incomum, os gritos dos fans que comemoram o campeonato alcançado pelo Benfica.



 Dolphins and Whales


Uma Manta e Um Francelho, voando alto.




A little jump and back into water. A nice day to swim out the Atlantic Ocean, westward. Another jump to take some oxygen and continue swimming. On the surface, near the ground, floats a “thing” full of those beings that continually pollute the sea.

This “thing” is a catamaran with members of the seminary development and biodiversity; sailing along the south coast of Madeira, while it´s crossing with a group of dolphins and pilot whales.
Cabo Girão, vista desde o Catamarã.

The ship left the port of Funchal and went eastward along the marine reserve of Garajau. Then he stopped to watch the cetaceans and then turn in the opposite direction, through Câmara de Lobos to Cabo Girão -589 meters, the second largest in Europe-.
The boat trip was so good to relax after a week full of new experiences. But there are to be ready for the challenges that come. The first one is learning a new language. The second one is to become a decent bird photographer.
Both require patience. Francelho, Pombo trocaz, Tentilhão, Manta... are some of the birds that will test my hability.


When you get to a new place, all around you it is new, and, as the weeks go by, get a time when the streets, people, customs, etc. begin to seem normal. The second week concludes while the street there an unusual bustle, the cries of fans celebrating the league achieved by Benfica.

11 de maio de 2015

Nova Casa


Nova Casa

A partir da Travessa do São Filipe pode ser visto o Oceano Atlântico que é perdido no horizonte, tão longe quanto chega visão. Um cruzeiro chega ao porto enquanto pequenos barcos de pesca navegam perto da costa. Se nós olhamos para cima, as casas antigas e negligenciadas sobem uma encosta íngreme, que termina em altas montanhas, cobertas de uma vegetação exuberante. Abaixo da estrada, passamos por um beco com um piso de cimento e descemos até chegar à rua Bela de São Tiago. Aqui começam as ruas estreitas, a pavimentação de pedra, vasos penduradas em postes de iluminação e arquitetura colonial.

  Casa antiga na Travessa do São Filipe                                     

Estamos no centro do Funchal, capital da Madeira, em frente da porta verde da sede da SPEA; Uma nova etapa começa!

Ter uma noite agradável no calor de uma fogueira à luz da lua cheia; desfrutar de um almoço rodeado por pessoas de pelo menos quatro nacionalidades; jogar um jogo de futebol na praça da vila, ao lado de uma bela praia; ser responsável pela comunicação de uma organização para o estudo e a conservação das aves; levantar-se às 6 da manhã para ir em busca de ninhos de fura-bardos (aves que têm pouco desejo de ser vistas); ver um Juventus vs. Real Madrid com o meu novo companheiro de apartamento italiano; não entender o idioma local e, em seguida, frequentar aulas em Português e perceber que não é tão difícil para um espanhol… são algumas das coisas que eu fiz na minha primeira semana.


A noite cai, as luzes laranja dos candeeiros ficam acesas e novamente eu subo a Travessa de São Filipe esgotado por um dia cheio de atividades. Existem ainda muitas coisas para fazer e o descanso necessário para começar um novo dia.


New Home

Estefania and Sandra, searching nests of Furabardos.
From Saõ Felipe Street you can see Atlantic Ocean, stretching to the horizon as far as the sight.  A cruise arrives at harbour meanwhile little fishing boats sailing near the shore. If you look up, the old an careless houses going up abrupt hillsides finishing in a jagged mountains covered by high vegetation. Below the street, across a alley with a cement floor you are going down until Bela Sao Tiago Street. Here begin the narrow streets, floor with stone pavers, flowerpots hanging from lampposts and houses of colonial style.

We are in Funchal centre, capital of Madeira, in front of green door of the headquarters of SPEA, a new stage begins.

Lunch in Porto da cruz with good company.
Have a nice meeting to the heat of a bonfire and moonlight; enjoy lunch surrounded by people, at least, 4 nationalities; play a football match on the villege square next to a beautiful beach; be responsible for the communication of an organization for the study and conservation of birds; get up at six o´clock a.m. to go looking for Fura-bardos nests (birds to don´t have desire to be seen); watch a Juventus vs Real Madrid in a pub with my new italian housemate; not understand the local language and go portuguese classes and notice it isn´t so difficult for Spanish people… are some of the things I´ve done in my first week.


Night is falling, the orange streelights switch on, it´s cold and another day I walk up Saõ Felipe Street, exhausted by a day full of activity. There are still many things to do and it´s necesary to rest to start a new day.




7 de maio de 2015

O trabalho de campo e a vida na MADEIRA

O trabalho de campo e a vida na MADEIRA 

O tempo todo que estou cá na Madeira os dias passam muito rápido, é isso a vida sente-se mais viva do que nunca. A equipa SPEA está sempre a procurar alguma coisa para fazer no contato com as aves, a natureza e as pessoas da ilha. É uma boa oportunidade para começar a falar português com o pessoal madeirense e divulgar as ações todas que estamos a fazer na SPEA, montes de atividades e trabalho de campo preciso para o estudo e bom conhecimento da biodiversidade madeirense e da Macaronésia.

Fieldwork in MADEIRA 



The whole time spending in Madeira is getting so fast for me; it is life feeling even more alive than ever. SPEA team is always looking for new things to do, to develop in the island to be in touch with nature, birds and local people. It is a good chance to start speaking Portuguese with locals and to provide information about our work, a lot of activities and field work is needed to improve our knowledge  from Madeiran Biodiversity and from Macaroneisan Area.



Laurissilva da Madeira 
Laurel Forest


Os primeiros meses do 2015 começaram com muita atividade pelo começo da fase reprodutora do fura-bardos (de fevereiro até agosto). Ainda faltam mais dos meses mas por em quanto já temos informações sobre novos ninhos e novos territórios do fura-bardos na floresta da Laurissilva da Madeira. O fura-bardos é uma das espécies de rapina presentes no arquipélago da Madeira e das Canarias, sendo uma subespécie endémica da Macaronésia. O nosso conhecimento sobre esta espécie ficava incompleto por ser um animal muito difícil de estudar e de ver na natureza. É muito esquivo e sempre esta deixar algum resto de sua vida na montanha mas ele muito poucas vezes aparece na nossa frente. É isso que faze uma espécie interessante e curiosa para conhecer. 

First months of 2015 started full of activities within beginning reproductive period of Sparrawhawk (from February until Agoust). It is stilling two months to finish this period but at the moment, we are getting so many information about ecology and biology of this specie. We have already found new nests and territories of Sparrawhawks in the Laurel Forest from Madeira. The Sparrawhawks is one of the raptors species in Madeira and Canary Islands, being an endemic subspecies from Macaronesia. Our knowledge about was incompletely because it is an animal very estrange to study and to watch in nature. It is very evasive in the forest and it is always leaving some rest of his life on the mountains but he seldom appears in front of us. That's what make an interesting and curious species to meet.



Ninho do fura-bardos
Sparrawhawks nest




Além do trabalho de campo com o Fura-bardos, há muitas atividades que temos feito no mar e nas escolas com os meninos. Os censos das aves marinhas continuam a decorrer e é por isso que temos a oportunidade de ver sempre o mar, e senti-o. Agora começa o bom tempo e com ele as boas viagens no veleiro, a brisa do mar vão ser muito boas de ficar calma e desconectar um bocado do Funchal. Os cetáceos e as aves marinhas estão já pertinho da costa, e com muita vontade de brincar connosco no veleiro e nas nossas viagens até Porto Santo.


Furthermore to the field work in Fura-bardos, there are a lot of activities done on the sea and schools with children. Census of seabirds are getting in process and we have another chance to watch the sea and and feeling it. At the moment, it is starting good weather and good trips on the boat, sea breeze are so fine to be quiet and disconnecting a little bit from Funchal. Cetaceans are coming near to the coast to play with us on the boat in the way to Porto Santo Island.



Cetáceos da Madeira 
Cetaceans from Madeira 

Ao começo do março, algumas aves marinhas começam vir à costa para acasalar e fazer os ninhos nos buracos da terra. Elas vão ficar perto da costa até as crias crescerem e vaiam para o mar no caminho mesmo de seus pais. Há alguma cá na Madeira muito importantes por serem únicas no mundo, é a Freira da Madeira e a Freira do Bugio. O ano todo viajam pelo mundo e decorrem os mares imensos de norte a sul e voltam para uma vez só para ter as crias e continuar a vida. A SPEA faz saídas do campo para tentar ouvir a chegada das aves à terra, é assim com as Freiras da Madeira que chegam aos picos mais altos da ilha para fazer os ninhos e também o Patagarro, ele nidifica nas montanhas perto do Funchal. Os voluntários da SPEA que queriam participar vieram com a equipa para escutar o som dos patagarros, um som muito diferente do que conhecemos para as aves. Elas chegam a terra após do pôr-do-sol, e só ver as montanhas, a floresta e o som que eles fazem à sua chegada e simplesmente incredível.



Sempre a descobrir a vida que a natureza oferece-nos, é só abrir os olhos e olhar para ela. 



Atividade do Patagarro no PECOF
Manx Shearwater activity in the PECOF


At the beginning of March, some seabirds start to come to the coast to breed and making nests in holes in the ground. They are staying near to the coast until poultry hatchlings grow up and go away to the sea. There is some very important bird from Madeira, only in the world; it is a Madeira’s petrel and Bugio’s petrel. The whole year they are traveling through the world in other seas from north and south and then, they are coming back to the island to nest. SPEA team is used to do field trips to listen arrivals of birds, Madeira’s Petrel arrive to the peaks of the island and Manx Shearwater arrive to the mountains of Funchal. SPEA volunteers collaborated with us to listen the sound of those birds when arriving to the nest. They use to arrive after sunshine, it is just watching to the mountains, forest and listen the sound to understand this feeling is amazing.

It is always to discover life that nature offers us, just opening eyes and watch to her. 


Yolanda González