sexta-feira, 15 de março de 2019

A primeira aventura na Spea



Com um começo de um novo dia ora de mais uma aventura pela nossa cidade são oito horas da manhã e há trabalho a ser feito o dia  está perfeito para realizar os censos no Jardim Municipal do Funchal, Parque de Santa Catarina e Baía do Funchal e daí dei o inicio ao trabalho nos jardins com um cantar de pássaros é como estivéssemos num paraíso longe da multidão mas não é bem assim apesar de tudo os pássaros a cantar, a voar é um dia perfeito para os observar e registar parece que a primavera antecipou se os ninhos já vão sendo avistados nas árvores e por vezes parece que ouvimos pequenos sons de crias nos ninhos tudo parece imaginação mas não, é uma realidade que conseguimos ter no nosso arquipélago e que devemos preservar apesar de hoje não encontrar nada diferente é sempre bom escutar e observar a natureza é um prazer poder desfrutar do que a natureza nos dá.


Jardim Municipal do Funchal
4 Guinchos na Baía do Funchal




Garça-Real no Parque de Santa Catarina



quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Olá sou a Carolina Caires tenho 20 anos sou natural do Funchal, Madeira. Sou estagiária no âmbito do curso de Guias da Natureza, tenho formação no curso técnico profissional de Gestão de Ambiente e actualmente encontro me no curso de Guia da Natureza na Universidade da Madeira. Em 2016 participei no projecto Life SOS Lobo Marinho, fiz uma estadia nas Ilhas Desertas onde permitiu conhecer um pouco sobre a fauna e flora. A partir daí descobri o gosto pela natureza. Em 2017 iniciei o Curso Técnico Superior Profissional Guia da Natureza, através do qual estou a estagiar na SPEA Madeira e espero vir a ter mais conhecimento sobre as aves e vida selvagem.



As aves e o lixo marinho




As aves marinhas são espécies muito vulneráveis e qualquer perturbação no seu meio pode provocar perturbações nas aves. Irei passar a falar sobre as Aves e o lixo marinho.
O lixo marinho é cada vez mais preocupante a nível mundial muitas espécies acabam ficando em perigo e acabam muitas das vezes por morrer derivado a acumulação de lixo no estômago ou acidentalmente. As aves marinhas por chegar demasiado perto das embarcações de pesca acabam por ficar presas nas artes de pesca outras ingerem plástico e acabam por morrer pela acumulação do mesmo.
Mas não é só nas aves em todas as espécies marinhas acontecem estes problemas e torna se num  ciclo  que pode vir a chegar aos nossos pratos.
É tempo de mudar!



Imagem relacionadaResultado de imagem para aves e as artes de pescaResultado de imagem para aves e as artes de pesca

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Notícia sobre as aves marinhas


Notícia sobre as aves marinhas

Parte do meu trabalho na SPEA consiste em compilar e escrever notícias para publicar no facebook e as que dizem respeito às aves marinhas são, sem dúvida, as minhas favoritas. Assim sendo, vou partilhar aqui convosco uma dessas notícias que refere alguns dos perigos que as aves marinhas enfrentam em terra.

Ninho de Cagarra Calonectris borealis na Selvagem Grande

Ninho de Cagarra Calonectris borealis
na Selvagem Grande

As ameaças às aves marinhas não ficam apenas pela poluição dos oceanos, elas também enfrentam problemas em terra. Nas suas áreas de nidificação há cada vez mais intrusão humana, causada pelo aumento da procura de atividades de carácter recreativo, científico e de desenvolvimento. Estas atividades podem ter efeitos negativos na sobrevivência dos reprodutores individuais, bem como consequências a longo prazo no que diz à respeito à resistência das colónias. Para as crias que se encontram no ninhos, a presença humana pode causar stress, comprometendo o seu desenvolvimento do sistema imunológico.

Calca-mar

Cria de Calca-mar

Contudo, a sensibilidade à perturbação humana difere de espécie para espécie. As distâncias críticas de reação e as suas respostas comportamentais associadas variam de acordo com a espécie e com a ameaça percebida.

Saiba mais sobre estes impactos em http://datazone.birdlife.org/human-disturbance-at-seabird-colonies-has-a-range-of-impacts






News about seabirds


Part of my work at SPEA consists on writting news to publish on facebook and the ones about seabirds are definetly my favourites, so I am going to share here with you one of those news that mentions some of the dangers seabirds face on land.

Cory's shearwater Calonectris borealis
nest in Selvagens Islands

Cory's shearwater Calonectris borealis nest in Selvagens Islands


Threats to seabirds go beyond ocean pollution, they also face dangers on land. In their nesting areas human intrusion is constantly increasing, caused by the demand for recreational, scientific and development activities. These may have negative effects on the survival of individual breeding animals, as well as long-term consequences for the resistance of colonies. The human presence can also cause stress for the young ones in the nests, compromising the development of their immune system.

White-faced Storm-petrel
Pelagodroma marina

Young White-faced Storm-petrel 
Pelagodroma marina


However, sensitivity to human disturbance differs from species to species. Critical response distances and their associated behavioral responses vary according to species and perceived threat.


Learn more about these impacts at http://datazone.birdlife.org/human-disturbance-at-seabird-colonies-has-a-range-of-impacts






segunda-feira, 4 de junho de 2018

Poluição luminosa e aves marinhas


Poluição luminosa e aves marinhas

A Ilha da Madeira concentra mais de metade de toda a sua população na capital, Funchal. Como é bem sabido, as atividades cotidianas do ser humano têm um impacto no meio ambiente em maior ou menor grau: geração de resíduos, emissão de gases poluentes, poluição sonora, poluição luminosa, etc. Este último é gerado sobretudo em grandes centros populacionais.

O Funchal tem a particularidade de ter uma população muito dispersa. Grande parte de sua população vive em casas unifamiliares construídas ao longo da montanha, sendo as mesmas muito povoadas e urbanizadas. Por outro lado, o Funchal possui vários monumentos e parques que são iluminados com luzes de grande potência e intensidade.



Estes dois fatores significam que, juntamente com a instalação de modelos de luminárias inadequados, uma grande quantidade de luz é emitida no hemisfério superior da luminária. Isso significa que parte da luz da luminária ilumina o céu. Em outros casos, os luminares apontam diretamente para o céu, como é o caso da iluminação de alguns monumentos públicos.


A poluição luminosa afeta as pessoas alterando os ciclos do sono, causando efeitos na saúde.

Mas além do ser humano, devemos estar conscientes de que na natureza existem milhares de espécies, que também são afetadas por esse tipo de poluição.

Uma das espécies mais afectadas na ilha da Madeira são as aves marinhas. Este tipo de aves vive no mar, mas quando a época de reprodução começa, voltam a pousar. Como uma característica particular, pode-se dizer que eles têm uma visão muito sensível a pontos de luz no escuro, o que lhes permite caçar espécies de peixes luminescentes à noite no mar. Essa grande sensibilidade aos pontos de luz durante a noite faz com que algumas aves marinhas sejam atraídas por luminárias cujo raio de luz é difuso, atingindo as luminárias e ficando atordoado no meio da cidade.

Por este motivo, o projeto LuminAves foi criado para tentar resolver os problemas de poluição luminosa na Ilha da Madeira.





Light pollution and marine birds

Madeira Island has concentrate more that the half population of all the Island in Funchal. As we know, the quotidian activities of humans have an impact in the environment in more or less amount: waste generation, gases emission, noise pollution, light pollution, etc. The last impact is generated in big concentrations of population.

Funchal has a dispersed population. A lot of people live in single family house in the mountain, that need a roads and illumination in the night. On the other hand, Funchal has some important monuments that need a light in the night, in some cases this light is focused down to up.




These both factors, together with an inappropriate streetlights, produce a big amount of light emission in the north hemispheric. This means that, part of light go directly to the sky. In other cases, the streetlights focus directly to sky.

Light pollution affect to human being, it modify the sleep cycle.

But in the nature live more species other than we, and also light pollution affect this.

One of the most affected species on the Island of Madeira are seabirds. This type of birds lives in the sea, but when the breeding season begins they return to land to nest. As a particular feature, it can be said that they have a very sensitive view to points of light in the dark, which allows them to hunt luminescent fish species at night in the sea. That great sensitivity to the points of light during the night causes some seabirds to be attracted to luminaries whose beam of light is diffuse, hitting the luminaries and being stunned in the middle of the city.

For this reason, the LuminAves project was created to try to solve the problems of light pollution on the Island of Madeira.